As fases de um negócio: saiba como fazer a sua empresa crescer

Um dos grandes desafios dos empreendedores é saber como fazer uma empresa crescer, tendo em vista que o mercado se encontra cada vez mais competitivo e as diversas ofertas disponibilizadas pelos concorrentes.

Para garantir um lugar de destaque no segmento de atuação, é necessário adotar as melhores estratégias para alcançar as metas e objetivos almejados, aumentar o faturamento, entregar produtos e serviços de qualidade e conquistar a fidelidade dos clientes. Dessa forma, vai fortalecer o negócio e garantir um crescimento sustentável.

Quer saber quais práticas podem ser implementadas para expandir a companhia? Então, continue sua leitura!

1. As fases de crescimento da empresa

É importante conhecer as fases que compõem o crescimento de uma empresa, já que por meio delas é possível ter um norte das ações que devem ser desenvolvidas para estar à frente do mercado. Veja a seguir quais são elas!

1.1. Existência

É a fase inicial, onde existem diversas possibilidades. Por esse motivo, é necessário:

  • compreender quem é o cliente;
  • validar produtos e serviços;
  • tratar de todas as burocracias;
  • solucionar as demandas com baixo orçamento.

Nesse momento, o dinheiro e o pessoal não são o ponto chave. É preciso ter uma equipe reduzida e multidisciplinar. Essa também é a hora de começar as estratégias de marketing. Dessa forma, você vai identificar o público-alvo com desejos, desafios, preferências e objeções de compra e, consequentemente, alavancar as vendas.

1.2. Sobrevivência

Nessa etapa de expansão do negócio, ele já está formalizado. Então, é o tempo de celebrar que os clientes aprovaram a ideia. Contudo, é preciso trabalhar ainda mais, tendo em vista que as operações ficam mais intensas e os resultados são esperados, sendo preciso ter lucro. Porém, a empresa já se sustenta e cumpre com suas obrigações, sendo um benefício que possibilita maior dedicação.

Nesse contexto já é possível ampliar a quantidade de colaboradores e reduzir a sobrecarga da etapa anterior. Além disso, é o momento de otimizar os processos de Recursos Humanos para assegurar um time alinhado. A maturidade digital já colabora com o fortalecimento da marca, por exemplo, pensando no branding e na identidade da organização.

1.3. Sucesso

Agora é possível o desenvolvimento futuro da empresa e perceber a renda originária de toda estratégia executada até aqui. Caso prefira, você pode elaborar uma estrutura de gerenciamento e se afastar por um tempo da instituição.

O setor de RH ficará responsável pela criação de uma comunicação interna eficaz, consolidando a cultura empresarial. Já que o marketing digital agora tem um orçamento maior, ações voltadas para os diversos perfis de clientes podem ser implementadas, gerando uma aproximação entre empresa e público e o fortalecimento da imagem da marca.

1.4. Decolagem

Se tudo ocorreu bem e você conseguiu chegar até essa fase, quer dizer que o seu empreendedorismo está sendo eficaz. Enquanto muitas companhias costumam estacionar no estágio da sobrevivência, e não conseguem continuar, as que param na fase do sucesso costumam se manter lá por escolha própria.

Essa etapa tem um ritmo mais acelerado, chegando a lembrar a primeira. No entanto, agora existem recursos suficientes para trilhar o percurso em direção a expansão. O RH descentraliza a gestão, mantendo o foco do negócio. Enquanto isso, o marketing precisa fortificar a autoridade da marca, para atrair e interagir com o público.

1.5. Maturidade

São poucas as empresas que conseguem chegar até esse estágio. Aqui, o foco não é mais promover o desenvolvimento, e sim garantir a estabilidade. A função do empreendedor inicial não é tão relevante, mas a jornada continua e sempre será preciso identificar soluções para o crescimento da organização, mesmo que não tão rápido como antes.

É fundamental que o marketing e o RH atuem em conjunto, alinhados à cultura da instituição com os princípios da marca e sua imagem perante o mercado.

2. A importância do marketing digital nessas etapas

O desejo de todos que fazem parte do ato de compra é que ela fosse realizada de forma simples e prática. Isso até pode acontecer, contudo, na maioria das vezes, é preciso que o consumidor passe por muitos processos até finalmente comprar o produto desejado, por exemplo, comparar preços, consumir vários tipos de informações etc.

Algo muito utilizado é fazer a consulta geral no Google sobre a mercadoria que está procurando, pesquisar o blog da empresa que produz ou buscar por comentários em sites relacionados ou redes sociais, até fazer o pedido.

Por existir essas diversas etapas para o processo de compras, o objetivo do marketing digital é influenciar as ações do consumidor durante esse caminho. O sucesso da ação vai depender do estágio do cliente naquele momento — por exemplo, alguns podem estar se deparando com a marca pela primeira vez, precisando de informação geral. Outros já conhecem a marca e estão quase decidindo sua compra.

Independentemente de como estão localizados no funil de vendas, o que eles precisam é de algo que os convença a finalizar o pedido. Ao criar conteúdo, é importante refletir sobre a etapa que estará a jornada de compras e, assim, desenvolver conteúdos específicos para cada etapa do funil.

Por esse motivo, veja a seguir ideias de como produzir conforme cada fase. Mas é importante lembrar que, dependendo do ramo da empresa e o perfil da sua persona, pode ser preciso realizar de uma outra forma.

2.1. Topo do funil – atração

Aqui é preciso elaborar tipos de conteúdos com a finalidade de atrair o público-alvo e mostrar sua marca para os novos clientes. Lembre-se de que as pessoas ainda estão conhecendo sua empresa, produtos e serviços. Isso significa que ainda não estão preparadas para comprar com você.

Nessa hora, elas podem nem ainda saber que necessitam do que seu negócio oferece. Elas vão encontrar sua marca por meio de uma busca genérica, enquanto estão pesquisando mais sobre o assunto. A finalidade é educá-los em relação sobre quem você é e o que faz, gerando a visibilidade da marca.

Os tipos de conteúdos mais comuns de serem produzidos são:

  • vídeos com explicações simples;
  • blog posts;
  • press releases;
  • redes sociais;
  • infográficos;
  • e-books introdutórios.

2.2. Meio de funil – envolvimento

Essa fase vai lidar com clientes que já conhecem a sua empresa, produto ou serviço é já têm interesse em adquiri-lo. Eles estão se decidindo se devem comprar a mercadoria que seu negócio oferece, bem como avaliando a concorrência e sua organização.

Então, é preciso que você produza conteúdos mais específicos e que façam com que esse público perceba que vocês são referências no que fazem. Os melhores conteúdos para o meio de funil são:

  • white papers;
  • boletins informativos;
  • e-mail marketing;
  • retargeting;
  • material rico (e-books, templates, entre outros).

2.3. Fundo do funil – decisão

É essencial ter um conteúdo planejado para informar e influenciar a opinião do consumidor na hora da decisão, levando-o à conversão. Essa é a hora de estabelecer confiança ao falar diretamente para ele e apresentar o valor do seu produto e serviço.

Os conteúdos indicados para essa fase são:

  • testes gratuitos;
  • depoimentos;
  • webinars;
  • ofertas e descontos;
  • apresentação de vendas diretas e pessoais;
  • cases de sucesso.

O marketing digital deve ser delineado e sincronizado com o processo de compras, por isso, a necessidade da utilização pede diferentes tipos de conteúdo conforme as etapas do funil.

Sabendo o que funciona de forma mais adequada em cada etapa do funil de vendas, já é possível iniciar a projeção de toda a sua campanha. Não se esqueça de acompanhar de perto os resultados e, assim, compreender de que maneira as personas estão reagindo ao material e entender cada vez mais sobre suas preferências.

3. Como fazer uma empresa crescer rapidamente?

Sem planejamento é impossível que a companhia chegue em algum lugar. Um desenvolvimento sustentável é gerado por meio da definição de objetivos e metas que devem ser alcançados. Veja a seguir algumas dicas que podem contribuir para o processo de crescimento do seu negócio.

3.1. Invista no departamento de Recursos Humanos

Não tenha receio de investir em políticas inovadoras de recursos humanos. Procure ir além das tarefas básicas desenvolvidas no dia a dia, como contratações, elaboração da folha de pagamento, demissões, entre outros.

Não tenha como fato de admissão a remuneração mais baixa que conseguir pagar, tendo em vista que o que parece econômico de início pode, muitas vezes, resultar em baixa produtividade e redução da qualidade no trabalho.

Depois da contratação, integre o novo colaborador à organização e dê o treinamento e a capacitação necessários. O curso dispendido na reposição de um funcionário que não está dando certo é bem maior do que o fornecimento de certos benefícios.

3.2. Identifique a estabilidade financeira da companhia

Defina quais são as despesas e receitas e, então, realize os ajustes necessários, estabelecendo as medidas estratégicas e o cronograma de pagamento e recebimentos. Crie um fluxo de caixa, com a finalidade de usá-lo como base nas tomadas de decisões ou na realização de investimentos.

Além disso, providencie a projeção e o controle do capital de giro, evitando que a inadimplência ocorra. Impeça os desperdícios durante as operações e tenha atenção quanto as saídas dos produtos em estoque.

3.3. Tenha a rentabilidade como um objetivo

Para que o negócio possa se expandir, é importante que ele tenha lucratividade. Por esse motivo, tenha sempre o lucro como uma meta, otimizando os processos, estipulando práticas estratégicas e até mesmo delegando responsabilidades.

Averigue em quais situações os desperdícios na empresa podem acontecer e adote medidas para evita-los. A companhia precisa funcionar completamente ajustada para que possa se tornar rentável e, assim, continuar crescendo efetivamente.

3.4. Valorize os colaboradores da empresa

Busque identificar quais são as habilidades e competências dos seus funcionários, de modo que possam ajudá-lo nas mais variadas etapas encontradas na gestão de um negócio, principalmente nos casos em que a área de atuação envolver o contato direto com o público.

Os colaboradores são um dos recursos que mais podem contribuir para o crescimento acelerado e saudável da instituição.

3.5. Não tenha medo dos concorrentes

Procure entender quem são seus concorrentes e faça de tudo para ser melhor que eles. Porém, tome cuidado para não os imitar. Produtos, procedimentos, equipamentos podem ser copiados, mas a aptidão da pessoa responsável não.

Adicione valor ao seu trabalho, fazendo com que ele tenha um diferencial, de forma que os consumidores encontrem motivos para preferir a sua empresa do que a concorrência.

3.6. Foque na satisfação dos clientes

Tente sempre atender o seu público da melhor forma possível, afinal é ele quem vai gerar lucro ao negócio. Um cliente feliz sempre volta, além de indicar seus produtos e serviços para outras pessoas.

Por isso, não os ignore e busque dialogar com eles, entender os problemas e demandas e compreender os questionamentos de suas expectativas. Essa conversa pode trazer bons feedbacks que podem ser usados para a aplicação de mudanças e inovações relevantes, com o intuito de alavancar a empresa, facilitar o processo de atração de novos clientes e, consequentemente, aumentar o faturamento.

3.7. Separe as finanças pessoais das empresariais

Para conseguir entender se a empresa é rentável, é preciso que o caixa da instituição e do empreendedor e sócios sejam totalmente separados, com limites bem definidos. A companhia não pode funcionar como um banco de crédito ilimitado para o seu proprietário.

Além de impactar negativamente a contabilidade do negócio, essa falta de organização pode gerar graves problemas tributários e financeiros para a pessoa física e jurídica, caso a fiscalização entenda que os impostos estão sendo sonegados.

Determine um pró-labore fixo e, caso surja alguma despesa pessoal fora do orçamento, aja como qualquer assalariado: arrume uma solução ou deixe para o próximo mês.

4. Os erros que impedem o crescimento da empresa

A primeira ação a ser praticada com o intuído de evitar os erros que atrapalham o crescimento da empresa é identificar as falhas que estão sendo cometidas. Avalie e tome as medidas apropriadas para corrigi-las. Conheça os principais erros executados e que podem prejudicar a saúde administrativa e financeira do negócio.

4.1. Ausência de um plano de negócio eficaz

Ter um plano de negócios bem estruturado é essencial para nortear as ações da instituição. O plano deve apresentar a missão da empresa, métricas definidas por períodos, objetivos gerais, pesquisa de mercado, estudo da concorrência, público-alvo, principais demandas, entre outros. Ele servirá como guia estratégico para que o negócio alcance todas as metas.

4.2. Falta de automatização de certos processos

Muitos empresários acham que conseguem resolver tudo sozinhos e de forma manual. Eles acreditam que as despesas para automatizar certas tarefas são altas e não compensam o gasto.

Contudo, existem muitas ferramentas que auxiliam no gerenciamento dos negócios, controle de caixa, administração do estoque etc., que trazem o retorno do investimento a curto prazo, já que vão gerar uma série de economias.

4.3. Desorganização financeira

É imprescindível ter um planejamento contábil, financeiro e tributário sólido. É preciso manter estruturado:

  • lucratividade;
  • entradas e saídas de capital;
  • documentos fiscais;
  • controle de caixa, estoque e vendas;
  • pagamentos de impostos, entre outros.

Para que o foco possa ser no cliente e na expansão da empresa, alguns serviços podem ser terceirizados, como a contabilidade e as finanças, para que o empreendedor possa ter mais tempo para se dedicar a isso.

4.4. Despreocupação com a saúde organizacional

Toda empresa é composta por pessoas, então é importante manter uma cultura organizacional saudável. Ter um time desanimado, um ambiente laboral negativo com muitas picuinhas, gera uma baixa na produtividade e queda nos lucros.

Invista em avaliações de desempenho, reconhecimentos, treinamentos, premiações etc. — faça com que os funcionários estejam engajados com os objetivos da organização.

4.5. Descontrole do fluxo de caixa

O fluxo de caixa é um dos recursos mais importantes para o controle financeiro de qualquer empresa. Ele precisa estar atualizado, monitorando com precisão todas as transações do negócio. Esse controle vai contribuir no momento de tomada de decisões que o gestor precisar fazer.

4.6. Falta de preocupação com o cliente

O cliente deve estar sempre em primeiro lugar. O empreendedor deve conhecê-lo, compreender suas necessidades, demandas e preferências. Assim, será possível elaborar estratégias para atrair os consumidores, satisfazê-los e fidelizá-los.

A empresa deve estar atenta no que o público está pensando sobre ela, reclamações e comentários são ótimos insights para que se possa trabalhar para continuar crescendo.

4.7. Foco exclusivo no lucro

É indiscutível que o lucro é importante para que a organização continue em pleno funcionamento. Porém, o empreendedor não pode focar somente nisso. Ele deve dedicar tempo para fiscalizar as operações, inovar em práticas para reduzir gastos, buscar soluções para diminuir os erros e retrabalhos. Faturar alto e ter muitas despesas não adianta.

5. As melhores ferramentas para crescer online

As alternativas mais utilizadas nos dias atuais para quem deseja estar à frente no mercado de atuação, são as estratégias de baixo custo de crescimento em larga escala, já que são vistas como a melhor maneira de elevar a visibilidade da marca e o número de consumidores. Conheça alguns desses mecanismos a seguir.

5.1. Encontre seus leads

Para achar seus leads, é preciso utilizar ferramentas para mensurar a capacidade de landing pages, que são páginas específicas que recebem uma audiência determinada, interessada no tema em especial ou originária de um assunto. Por exemplo: Unbounce ou Optimizely.

Além disso, você também pode querer avaliar o comportamento do público em seu site o que mais desperta a atenção, em quais ramos eles investem mais tempo, clicks com mais visualizações, entre outros. Ferramentas que proporcionam esses dados são importantes para que se saiba onde precisa ser mudado para atrair melhor os leads, como a Crazy Egg e a SessionCam.

5.2. Torne os leads em chances de negócio

Caso o orçamento esteja folgado, você pode fazer anúncios. Porém, a maneira mais econômica de conseguir novos leads é por meio do Inbound Marketing. Ou seja, elaborando conteúdos interessantes para seu target virar um lead.

Esses materiais podem ser em formato de e-books, blogs, vídeos, webinars, entre outros. Assim, se alguém que não conhece sua marca buscar pelo assunto no Google, você terá diversos pontos de contato com ela.

Para isso, será preciso fazer uso de recursos que nutram esse lead, para que ele acredite na empresa e se torne uma boa chance de negócio. As ferramentas não produzem o conteúdo, mas automatizam réguas de nutrição, simplificando a distribuição desses materiais por meio de landing pages com formulários que viabilizam o aprimoramento do SEO das publicações. Podemos citar o Hubspot e o RDStation.

5.3. Transforme as oportunidades em clientes

Depois de ter os leads, será preciso utilizar uma ferramenta de vendas que vai auxiliar na organização de equipes e na automatização dos relatórios de performance, por exemplo, Pipedrive ou Salesforce.

5.4. Fidelize os clientes

Agora que você já tem uma base boa de clientes, preze pela comunicação e na qualidade dos produtos. O recomendável é utilizar recursos para analisar a audiência determinada de áreas do site da empresa. Por exemplo, qual perfil de usuário que utiliza mais de um determinando mecanismo do site, o que ele mais acessa, quais recursos precisam de mais atenção, entre outras questões.

Elas funcionam como uma forma de acompanhar certos eventos dentro do produto para aprimorar a performance e também oferecer feedbacks para campanhas de marketing. Entre elas estão a Mixpanel e a KISSmetrics.

Uma outra maneira de aproximar o relacionamento com os consumidores é recebendo as opiniões e sugestões deles. A partir das respostas que receber, é possível melhorar a qualidade do produto ou serviço. Além disso, o público sentirá que pode ajudar na evolução do negócio, trazendo apenas benefícios com isso. As ferramentas que podem ser usadas são: Polldaddy e Typeform.

Essas são apenas algumas ideias que podem contribuir de alguma forma para a aproximação com os prospects e aperfeiçoar tanto o produto quanto o atendimento ao cliente. As melhores medidas para crescer, no entanto, são oferecer um serviço eficiente, com foco no público, ter flexibilidade e elaborar objetivos que possam ser alcançados.

Entender a melhor maneira de como fazer uma empresa crescer é desafiador e exige muito esforço. Contudo, você pode perceber com este conteúdo que, com boas estratégias e planejamento adequado, essa tarefa se torna mais simples. Dessa forma, nada conseguirá impedir a competitividade e sucesso do seu negócio

Gostou deste post? Então, aproveite sua visita para baixar o e-book “Marketing Digital – passo a passo completo para iniciantes” e aprenda tudo sobre o assunto!

MARKETING & NEGÓCIOS

Coloque seu email abaixo para receber as atualizações do blog!

Acesse o e-mail enviado e confirme a assinatura, obrigado!